Bem-vindo

Qual o sabor do conto que você gostaria de ler?

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Menino verde

Brócoli.Espinafre.Jiló.Couve.Tudo verde. Prato preferido do menino Matheus, orgulho da mamãe e o sonho de outras. De vez em quando até rola um chocolate, pirulito e batata frita, mas só depois de comer sua porção verde. A mãe não sabe de onde vem esse apetite por verduras, mas lembra que quando pequeno só tomava seu leite, na mamadeira verde. “Mãe, tem brócolis?” E a mãe traz um prato dele picado, como quem traz a pipoca para acompanhar o desenho. “Terminei, e espinafre tem?” “Acabou, filho”. “Então vai buscar na casa do Popeye”. Casa do Popeye era o ‘hortifruti’ do bairro, que não vencia de estocar verduras e legumes para o menino. O jeito foi plantar uma horta no jardim de casa. Matheus plantava e regava suas verduras todos os dias, e colhia seu próprio jiló, como quem apanha maçãs para o lanche da escola. Vou levar dois na lancheira, assim posso dividir com meus amiguinhos. E então, chegava a hora do recreio. Lancheiras abertas e um festival de salgadinhos e bolachinhas. “Quer um pedaço do meu jiló?” E um eco invade a sala: “Ecaaaaa”. “Tudo bem, eu trouxe também brócolis picadinho”. E todos caíram na risada. A professora tentou explicar para os colegas que verduras e legumes são muito importantes para o crescimento e que Matheus é um exemplo para a turma. “Um exemplo verde”. Alguém gritou do fundo da sala. “De tanto comer verdura, vai ficar verde. E das suas orelhas vai sair um pé de brócolis”. Resultado, advertência na agenda do amigo e Matheus, chateado com um jiló inacabado nas mãos. Gostava de verdura sim, mais até do que de chocolate, mas não queria ficar verde e muito menos ser um pé de brócolis andando por aí. Contou para o pai, que deu risada e disse que forte ele já era, e que se ficasse verde, então viraria o 'Incrível Hulk', seu herói preferido. Matheus deu pulos de alegria. “Mãããeee, manda uma rodada de brócolis pra comemorar e guarda bastante para o lanche de amanhã”. No dia seguinte, na escola: “Oi, Matheus”. “Matheus não, Hulk por favor”. Ninguém entendeu. “Se vou ficar verde, e sou forte, então eu sou um super-herói”. Gabou-se, batendo no peito, enquanto abocanhava um suculento jiló. “Ahhhhhhh”, derreteram-se as garotas, enquanto uma fila de meninos se formava diante da sua lancheira. “Matheus, tem um pedaço para mim?”

3 comentários:

  1. ameiiiiiiiii, queria que meu filho fosse um menino verde, mas ele tá mais para menino marrom(chocolate),hehehe

    ResponderExcluir
  2. Muito bom...faltou dizer que a vontade de virar um homem forte e bonito foi porque o Matheus quer ser o Padrinho Paulinho quando crescer....kkkkk....bjs a todos....Parabéns Lu...

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Dá uma vista nesta notícia http://agoraquesoumae.blogspot.com/2011/07/conar-perde-etica-e-debocha-das.html
    Ela mostra o tanto que a ignorânica pode (des)fazer pelas nossas crianças!
    Bjus

    ResponderExcluir